close

Carreira

4 profissões do futuro que robôs não tomarão

dezembro de 2019


timer
Tempo aproximado
de leitura:
2 min



Por João Gabriel, CEO Crescere e especialista em novas carreiras

Um taxa de 70% das profissões que existem hoje serão substituídas por robôs até 2030, segundo a consultoria internacional PwC. Além das substituídas, muitas deixarão de existir simplesmente.

Você não quer ficar 5 anos estudando para descobrir que não serviu para nada, não é?

Fique atento para as profissões que têm cada vez mais procura, não exigem diploma e, de quebra, estão à salvo dos robôs.

SDR: o sales development representative é um profissional do setor de vendas, responsável por começar o contato com o cliente e a classificá-los por perfil.

Um bom SDR não precisa de um diploma, precisa ser bom de relacionamento, empático e capaz de se conectar com o cliente, já que ele será quem dará a primeira impressão da empresa. Já ter sido vendedor (de qualquer espécie) ajuda, dado que você trabalhará com muitos.

Quem for bom nisso começa ganhando até R$2.500 por mês mais comissões.

Customer success: as empresas finalmente aprenderam que vender não é o fim do ciclo com um cliente. Só há sucesso se um cliente teve sucesso.

Alguém da área de customer success tem a função de aumentar as chances (ou garantir) que o cliente esteja feliz e tendo sucesso com o que o adquiriu. Isso envolve pós-venda, suporte técnico, garantia e todo o relacionamento que ocorre após a venda.

Um bom profissional desta área deve ser detalhista, empático e capaz de se colocar no lugar dos clientes para entender suas demandas e necessidades ao usar aquele produto.

Sucesso dos clientes também é sucesso para você. Sucesso que se traduz em salários iniciais de até R$3.500 por mês.

Product Developer: sempre que fala-se em produto, pensa-se em um novo objeto sendo vendido. Você não acertou, mas foi quase.

Um product developer (ou desenvolvedor de produto) tem a função de criar novos produtos, que nem sempre são objetos, e melhorar os que já existem. Um produto pode ser qualquer coisa que faça dinheiro entrar na empresa, como serviços.

Um bom profissional dessa área deve estar sempre atualizado com o que anda acontecendo, além de ser extremamente criativo e capaz de achar soluções e oportunidades fora da caixa.

Parece difícil? E é. Mas vale a pena, já que temos salários iniciais de até R$4.000 por mês.

Programador: figurinha carimbada, esse todo mundo conhece. O programador é responsável por trazer os produtos digitais à realidade através de linhas de código e outras habilidades computacionais.

Um bom programador é capaz de aprender rápido, trabalhar bem em equipe e pensar nos problemas antes que eles ocorram para evitá-los. Quem for habilidoso ganha sua retribuição: um bom programador jr. recebe até R$3.000 por mês.

Você não precisa de diploma universitário, mas também não pode ir na cara e na coragem. Quer se capacitar para essas profissões? E sem se preocupar sem o dinheiro pra fazer isso? Vem comigo!



Leia mais

Carreira
timer 7 min

Como trabalhadores autônomos e CLT podem comprovar renda?

janeiro de 2018
Carreira
timer 5 min

Inovação no mercado: como reinventar sua empresa

outubro de 2018
Carreira
timer 7 min

Passo a passo para abrir o próprio negócio começando do zero

julho de 2018