8 dicas essenciais para você abrir seu próprio negócio

By:

8 dicas para abrir seu negócio

Por diferentes razões, muitas pessoas têm o desejo de abrir o seu próprio negócio. Seja por ter perdido o emprego, para ter mais flexibilidade de tempo ou, simplesmente, para dar um rumo diferente à carreira, o empreendedorismo se tornou uma meta de vida.

No entanto, as dúvidas sobre o assunto são comuns. Setor de atuação, público-alvo, marketing, investimentos, enfim, são várias possibilidades, e escolher entre uma ou algumas delas se torna o primeiro obstáculo de muitos outros.

Mesmo assim, empreender é gratificante e ver um projeto acalentado por algum tempo se desenvolver não tem preço.

A partir de agora, confira 8 dicas para abrir seu próprio negócio e tenha mas chances de ser bem-sucedido em sua escolha.

1 – Escolha o negócio

A escolha de um setor para empreender é importante e precisa ser bem feita. Foto: All Clear 55

Cada pessoa é diferente e tem uma maneira particular de lidar com as mais diversas situações pessoais e profissionais. Por isso, não vale a pena escolher o ramo de atuação apenas por gerar mais lucros ou exigir menos investimento. Esse é um tópico que precisa ser estudado e planejado com cautela.

Aliás, isso faz parte dos planos iniciais. Quando se fala em empreender, a área de atuação deve ser pensada antes de outros pontos igualmente importantes, mas que dependem dessa decisão. Afinal, elaborar um e-commerce não é o mesmo do que abrir uma loja física, por exemplo.

Para descomplicar essa escolha, é importante conhecer a si próprio. Assim, você levará em conta as suas preferências pessoais, traços de personalidade que podem ser determinantes no sucesso do negócio, o que gosta e o que não gosta de fazer, entre outros aspectos.

Evidentemente, talentos e habilidades pessoais devem ser levados em conta.

Entretanto, não adianta observar a si mesmo e deixar de aliar todas as informações encontradas com as necessidades de seu público-alvo. Você deve encontrar uma maneira de ajudar os seus futuros clientes e resolver os seus problemas e dores.

2 – Inovação

Abrir um negócio próprio e ter sucesso no projeto também depende desse fator. Afinal, ele está diretamente ligado com a diferenciação em relação à concorrência.

A tecnologia oferece inúmeras facilidades para quem é iniciante no empreendedorismo. As plataformas digitais assumiram um papel importante nesse sentido, pois tornam os investimentos menores e ampliam as possibilidades, inclusive para quem é leigo no universo digital.

As formas de crescimento são muitas e variadas. Elas certamente vão de encontro aos talentos e habilidades de cada um, além, naturalmente, dos diversos tipos de público.

Ainda que seu segmento tenha um mercado consistente, procure ter um jeito diferente de trabalhar e oferecer os seus produtos e/ou serviços.

3 – Informe-se

Ler e se informar sobre o ramo de atuação escolhido é excelente para quem deseja abrir seu próprio negócio. Foto: Cuncon

Uma vez escolhido o negócio e desenvolvidos os demais passos anteriores, é o momento de buscar o máximo de informações possível sobre o assunto.

A internet conta com vários pontos que podem ser úteis. Entretanto, vale lembrar que é importante ler diversos textos, assistir a vídeos e ouvir podcasts com ideias diferentes. Dessa forma, você pode escolher a que se adapta melhor aos seus valores e, claro, ao seu empreendimento.

Recursos off-line, como revistas e livros, também podem ser aproveitados plenamente.

Comparecer a eventos também é uma alternativa interessante. Além de aprender, você pode trocar ideias com outras pessoas que estejam passando por experiências semelhantes. Nessa categoria, podem-se citar workshops, palestras, cursos, debates e outros.

Organize essas informações e verifique como usá-las e tirar o máximo de proveito de seus benefícios. Você verá que essa trajetória se tornará mais simples e segura.

4 – Planejamento

O plano de negócio é um recurso muito importante no planejamento, mas não é o único. Pense em todas as etapas antes de executá-las. Foto: Startup Stock Photos

Como todo projeto, abrir o próprio negócio não pode ser uma sequência de ações impulsivas e mecânicas. Um bom planejamento é fundamental não só para a inauguração do empreendimento, como também para seu sucesso.

Um instrumento importante nesse sentido é o plano de negócios. Trata-se de uma espécie de guia, por meio do qual é possível verificar quem são os concorrentes da empresa, seus prospectos e clientes, bem como fornecedores.

Também se pode ter certeza dos pontos fortes e de aspectos que podem ser melhorados. Melhor ainda: a viabilidade do negócio é testada.

O plano de negócio, assim como o planejamento como um todo, é uma maneira de conhecer o mercado. Nesse momento, podem ser traçadas estratégias de marketing, inclusive digital, e ter uma ideia mais clara sobre a situação financeira por meio do fluxo de caixa.

Não adianta deixar de lado essa etapa: se quiser seguir em frente, planeje o máximo que puder em relação à sua empresa.

5 – Impostos

Os impostos devem estar de acordo com a situação presente da empresa e acompanhar seu crescimento. Foto: More Harmony

Empresas de todos os tamanhos e segmentos devem estar atentas em relação à sua situação tributária. Esse é um fator que ajuda a definir a sua regularidade e, por isso, é tão importante.

Alguns profissionais, como contadores, podem auxiliar a apurar esses impostos, de acordo com o perfil do empreendimento e em conformidade com as leis do Brasil.  

Corporações de maior porte costumam ter uma equipe própria para esse fim. Outras apostam na terceirização, o que pode ser uma boa saída. Há também a possibilidade do uso de um software de gestão, que estruture todas as informações administrativas da empresa, incluindo os impostos a serem pagos.

Todas essas ações também evitam problemas com o Fisco e evitam contratempos desnecessários e que apenas sugam energia para o que é realmente indispensável. Para isso, o tópico anterior — planejamento — também é fundamental. A principal consequência disso é o alinhamento dos impostos com o crescimento da empresa.

6 – Observe os custos

Um ponto muito importante e que jamais pode ser deixado de lado no momento de abrir o próprio negócio é o financeiro. Tudo deve ser devidamente planejado e executado cautelosamente, para não haver contratempos futuros, que podem até interferir no bom andamento dos negócios.

Para se ter uma ideia, muitos gestores se confundem em relação a dois termos distintos: faturamento e lucro. São conceitos bem diferentes entre si e entendê-los é primordial.

O faturamento é toda a verba obtida pela venda dos produtos ou serviços de um empreendimento. É o valor bruto dessas vendas, incluindo a porcentagem dedicada aos impostos.

O lucro, por sua vez, é a diferença entre o faturamento e todas as despesas, sejam elas fixas ou variáveis. Para que o negócio tenha uma vida financeira saudável, é essencial que esse número seja positivo.

O controle pode ser feito de várias maneiras. Entre elas, destacam-se as planilhas, softwares e aplicativos. As soluções na nuvem são também excelentes, pois o controle pode ser feito de qualquer lugar. Basta estar conectado à internet.

7 – Separação das contas pessoais e corporativas

Este tópico está diretamente relacionado com o anterior, o financeiro. Muitas vezes, uma grande entrada de dinheiro causa uma impressão equivocada no gestor. Isso pode ser perigoso, se não houver a separação das contas pessoais e corporativas.

Aquele montante que aparece positivamente no fluxo de caixa da empresa nunca pode ser usado indiscriminadamente para despesas pessoais. Mesmo que seja investido na empresa, esse dinheiro deve ser conscientemente investido, para que não haja surpresas negativas.

Por isso, o pró-labore (salário do dono ou sócios da empresa) deve ser definido ainda no planejamento e pode constar também no plano de negócio. Na verdade, você acaba sendo funcionário de si mesmo, pois terá uma renda fixa todo mês, assim como qualquer colaborador.

Apenas essa separação já melhora o aspecto financeiro da empresa. Pode parecer trivial, mas muitas pessoas abrem o próprio negócio e, por falta de informação, não fazem essa distinção.

8 – Aportes financeiros

Além da administração dos próprios recursos, um problema que impede muitas pessoas de abrir ou manter o próprio negócio é a falta de crédito.

As possibilidades de financiamento são muitas, principalmente aquelas que não interferem negativamente no fluxo de caixa. Com uma verba extra, você consegue adiantar um projeto e promover o crescimento da empresa.

A Rebel pode ajudar você nesse sentido. Como uma fintech, seus serviços são ideais para pessoas que precisam de tempo para suas prioridades, tanto pessoais quanto as que dizem respeito ao negócio. Você pode conseguir exatamente o valor de que precisa e alavancar o seu empreendimento.

É importante mencionar que não há burocracia na obtenção desse montante. Logo, seus planos não são adiados e você pode abrir e administrar sua empresa sem complicações financeiras.

Ao entrar em contato, você tem mais informações sobre como conseguir esse crédito. Essa pode ser a oportunidade que estava faltando.

Para ter mais detalhes sobre crédito e empreendedorismo, fique de olho nas atualizações do site e confira o conteúdo já publicado. São outras dicas tão importantes quanto essas que você acabou de ler. Afinal, abrir o próprio negócio é um sonho, mas também um desafio. Ao adquirir segurança e informações, o sucesso é quase certo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *