close

Grana

Empréstimo consignado: o que é e como funciona?

janeiro de 2018


timer
Tempo aproximado
de leitura:
8 min



O que é empréstimo consignado?

O crédito ou empréstimo consignado é uma modalidade de empréstimo pessoal oferecida por instituições financeiras, que concedem a aposentados e pensionistas do INSS – assim como a funcionários de empresas privadas com carteira assinada e trabalhadores públicos municipais, estaduais e militares – um valor combinado de acordo com o rendimento do contratante.

A característica principal é o desconto em contracheque (holerite) ou benefício. Devido à segurança dessa modalidade, em relação a outros tipos de empréstimo, os bancos acabam oferecendo taxas mais baixas porque têm garantia de pagamento.

No caso de pensionistas ou aposentados do INSS, o crédito não se limita à Caixa Econômica Federal, sendo possível contratar a instituição que mais lhe convir. O desconto, no entanto, continua sendo na conta em que o beneficiário recebe o dinheiro.

Entre as maiores vantagens da contratação de um empréstimo consignado, estão as poucas exigências para fechar negócio. Esse tipo de acordo também não prevê consultas ao SERASA ou SPC, o que o torna uma ótima alternativa para quem está com o nome sujo.

A desvantagem é que as parcelas continuam a ser debitadas no contracheque ou benefício, independe de imprevistos. Portanto, caso o requisitor seja demitido, o desconto vigora e pode comprometer boa parte da rescisão trabalhista.

Agora que você já sabe o que é empréstimo consignado, continue a leitura e descubra como esse crédito funciona e se essa é a medida ideal para seu caso financeiro.

Pesquise antes e certifique-se de que o empréstimo consignado é a melhor opção para a resolução de suas dívidas.

Como funciona o empréstimo consignado?

As parcelas do empréstimo consignado são descontadas antes do salário ou benefício cair na conta do contratante. Dessa forma, o banco tem garantia contra imprevistos no pagamento e oferece uma facilidade maior nas parcelas, que podem ser de até 120 meses, além de taxas muito menores, comparadas às de outros créditos pessoais.

Os documentos necessários para fechar o acordo são RG e CPF, bem como comprovante de residência e contracheque. Este último é essencial para formular quanto a instituição financeira poderá conceder de crédito.

O valor de cada parcela não pode ultrapassar 35% do salário do beneficiado, mas é importante ficar atento, pois cada banco possui uma taxa particular, ou seja, antes de assinar, pesquise, leia o contrato com atenção e verifique se esta é a alternativa mais adequada para o seu caso.

No empréstimo consignado não há uma lei específica que delimite os juros. As taxas podem variar de 1,5% a 3,5% ao mês de um banco para outro. Outro detalhe importante é que 5% do empréstimo só poderá ser usufruído por meio do cartão de crédito consignado.

Fazer um comparativo entre os bancos é imprescindível para fechar um bom negócio.

Na maioria dos casos, não é preciso ser correntista da instituição para obter o empréstimo consignado, mas os assalariados privados precisam que as empresas nas quais trabalham estejam associadas à instituição do fornecimento. Afinal, o desconto será efetuado pelo banco contratado diretamente do salário.  

Mas, atenção, antes de assinar o contrato, esteja ciente de outra modalidade de crédito que pode ser a chave para seu caso. Siga com a leitura e descubra!

Qual a diferença entre o crédito pessoal e o consignado?

Apesar de parecer a mesma transação, essas duas modalidades de crédito possuem atributos bem específicos que as definem.

No caso do crédito pessoal, existem mais chances de ser aprovado e obter melhores taxas estando com o nome limpo. Afinal, há consulta tanto no SERASA quanto no SPC. Um bom conselho é comparar as taxas na própria instituição em que possui vínculo financeiro, ou seja, na qual tenha conta corrente ou conta poupança aberta com oferta de outras FinTechs que oferecem crédito pessoal. Muitas vezes as FinTechs possuem taxas menores e um processo muito mais simples de aprovação.

Quanto mais dados as FinTechs possuem sobre o cliente, mais rápido e preciso será o processo de aprovação e liberação do empréstimo com as melhores condições para o usuário. Não é necessário falar com um gerente para conseguir o crédito.

No caso do empréstimo consignado, não há consulta ao SPC ou SERASA e também não há exigência de que o solicitante tenha conta corrente ou poupança no banco. Então, fica mais fácil angariar a melhor proposta, independentemente de ter ou não conta em movimento.

Uma questão que deve ser levada em conta tanto no crédito pessoal quanto no empréstimo consignado é o número de parcelas. Se, por um lado, o primeiro concede pouco tempo para o pagamento – em geral, 24 meses –, o outro pode prolonga-las em até 120 meses.

O crédito pessoal e o empréstimo consignado têm características específicas. É preciso conhecer cada um para ver qual é a melhor opção para determinada situação financeira.

A grande sacada é descobrir quais são as prioridades e mensurar os pós e contras de cada modalidade de empréstimo. Cada caso é único, portanto, é preciso verificar se o melhor é o parcelamento em poucas ou longas prestações.

Agora que você descobriu a diferença desses dois créditos, descubra se é possível combiná-los ou possuir mais de um empréstimo ao mesmo tempo.

É possível fazer mais de um empréstimo consignado ao mesmo tempo?

Para manter o equilíbrio das finanças, cuidado ao contratar mais de um empréstimo.

Sim, é possível combinar mais de um empréstimo consignado (ou não), desde que a somatória de todos não comprometa mais do que 35% dos rendimentos. É possível também de se obter crédito pessoal mesmo tendo ultrapassado o limite de 35% dos rendimentos. Contudo, não é necessariamente aconselhável pois é preciso ter cuidado com o nível total de endividamento.

A própria instituição financeira irá checar a situação do contratante e a capacidade de comprometimento para que não haja sobrecarga de dívidas.

No tópico abaixo, será explicado o que deve ser feito nos casos em que a situação saiu do controle e não é mais possível arcar com as parcelas.

O que acontece, caso o empréstimo não seja pago

É importante que a intenção do pagamento em dia esteja bem clara para quem contrata o empréstimo consignado. Infelizmente, imprevistos acontecem, e em situações nas quais ficou difícil pagar as parcelas, é primordial procurar a financiadora ou banco o quanto antes a fim de renegociar o acordo.

Entre as possibilidades de renegociação oferecidas, pode estar um parcelamento mais estendido, com parcelas de menor valor, ou um novo empréstimo que atuará no pagamento do anterior, assim como uma nova proposta de crédito. Quanto mais parcelas quitadas do empréstimo consignado antecedente, maior o valor que poderá ser oferecido no novo acordo.

A saída mais conveniente é procurar o banco assim que perceber que não será mais possível arcar com as despesas, encontrando, dessa forma, uma solução antes de os valores saírem do controle.

Evite a famosa “bola de neve” e tome decisões certeiras para evitar mais endividamento.

Existe, também, a possibilidade de fazer a portabilidade do crédito. Basicamente, significa mudar a dívida de um banco para outro. Essa transição não é apenas permitida, como se mostra uma boa alternativa ao encontrar condições melhores em outra instituição.

Nesse trâmite, o novo banco contratado paga a dívida anterior e o contratante passa a dever para esta nova instituição. É preciso verificar cada detalhe de taxas e prazos, assim como se haverá reais variações com essa portabilidade.

A seguir, confira se este crédito é adequado aos seus planos e descubra se é útil para o seu caso financeiro.

<h2>Como saber quando fazer um empréstimo consignado?</h2>

É preciso ter motivos válidos na hora de contratar um empréstimo consignado. Primeiramente, o contratante não deve se encantar com as menores taxas oferecidas por esses empréstimos e fechar negócio sem pensar profundamente. Afinal, é preciso ter em mente que por um bom tempo os rendimentos mensais estarão reduzidos.

Não haverá como atrasar o pagamento da parcela, pois o desconto ocorre diretamente no contracheque ou benefício, o que compromete a renda sem chance de alterações. Portanto, é essencial analisar a real necessidade de solicitá-lo.

Um dos maiores motivos para as pessoas o procurarem é quando já se encontram em dívida e enxergam no empréstimo consignado menores taxas e parcelamentos mais longos. O consignado pode ser uma solução para quitar a dívida anterior e organizar os gastos.

É preciso avaliar a necessidade do crédito de forma crítica, evitando uma contratação desnecessária ou inadequada.

Como já falamos no decorrer do artigo, é imprescindível uma pesquisa de mercado antes de contratar qualquer tipo de crédito. É preciso fazer um comparativo das exigências, prazos e taxas de cada financeira.

Além disso, tão importante quanto, é analisar se você poderá arcar de fato com mais uma despesa. E somente depois, de forma organizada e consciente, fechar o melhor contrato.

Antes de assinar, uma dica é solicitar o Custo Efetivo Total (CET), um documento que vai fornecer de forma discriminada todos os valores a serem pagos.

A seguir, dois tópicos irão ajudar a analisar quando se deve ou não contratar este tipo de crédito financeiro. Fique atento!

Devo contratar quando:

O empréstimo consignado pode ser uma solução benéfica se o plano é abrir o próprio negócio. Ao enxergar o crédito como um investimento, ele passa a ter um objetivo concreto e fica mais fácil entender a medida como prioritária.

O empréstimo consignado também é uma saída em casos emergenciais de saúde, como cirurgias que não estavam previstas ou para a compra de medicamentos para um tratamento caro.

Outro bom motivo são reparos que não podem aguardar para serem resolvidos, como vazamentos na casa ou problemas com o carro.

Ainda falando sobre investimentos na casa, se o caso for uma reforma, o empréstimo consignado também é uma medida interessante, pois dará um prazo estendido para a compra dos materiais e uma capacidade de manejar melhor o pagamento da mão de obra.

Reforçando o que já foi citado anteriormente, este tipo de crédito pode salvá-lo de uma dívida maior e com taxas de juros muito altas, como as de cartão de crédito e cheque especial, e ajudá-lo a reorganizar a vida financeira.

Não devo contratar quando:

Em primeiro lugar, o empréstimo consignado não é uma alternativa para pagar as contas mensais gerais. Isso porque o crédito será mais uma dívida em meio às outras.

O empréstimo consignado também não deve ser utilizado para ser aplicado em outro investimento. Embora os juros baixos sejam atrativos, não são maiores do que o rendimento que a aplicação ofereceria.

Outro fato que nunca é demais lembrar é o de não emprestar o nome para ninguém. Comprometer-se com gastos de um empréstimo já é complicado e exige disciplina quando feito para o próprio uso.

E, infelizmente, não há como garantir que aquele que te pediu essa ajuda financeira possa honrar realmente com as parcelas. Não é egoísmo. É uma forma precavida de não se envolver em dívidas que não são sua responsabilidade.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo. Se nos acompanhou até aqui, é possível que muitos dos questionamentos sobre o que é um empréstimo consignado tenham sido sanados. Se restou alguma dúvida, ou caso queira contribuir com alguma observação, deixe-a abaixo nos comentários.

Acompanhe também nosso conteúdo nas redes sociais e esteja sempre antenado com o que há de mais atual para uma vida financeira saudável.



Leia mais

Grana
timer 4 min

5 maneiras para conseguir empréstimos com taxas de juros mais baixas pra consumidores

janeiro de 2018
Grana
timer 5 min

Saiba como conseguir um empréstimo para autônomos

janeiro de 2018
Grana
timer 3 min

O que são juros de mora e como efetuar esse cálculo?

março de 2018