Fintech de empréstimo: entenda o que são e como funcionam

By:

O que é uma fintech de empréstimo?

As fintechs trabalham com diversos produtos financeiros, através de canais digitais, incluindo empréstimos

Com o mundo vivendo a era digital, diversos produtos e serviços agilizam o dia a dia e trazem vantagens que, antes, eram restritas a pequenos grupos. Empréstimos, por exemplo, até há pouco tempo só podiam ser feitos em uma instituição bancária, cheia de burocracias e outras limitações que deixavam muitas pessoas fora do sistema. É nesse cenário que surgem as fintechs. Mas o que elas são?

Empresas de Fintech são, basicamente, aquelas que usam tecnologia de forma ativa para oferecer produtos na área de serviços financeiros, por meios inovadores. A inovação pode vir através da tecnologia ou pelo modelo de mercado e, constantemente, elas oferecem uma experiência diferenciada ao usuário, com processos simples e fáceis.

A grande missão das fintechs é a inovação e otimização dos processos financeiros. Com a tecnologia, visam implantar novos produtos e processos ou aprimorar os já existentes, como empréstimos.

Fintechs têm como características:

  • Menos burocracia;
  • Foco em tecnologia;
  • Soluções personalizadas ao cliente, de acordo com sua necessidade;
  • Menos produtos, com maior direcionamento.

E por que as fintechs?

O cenário atual da economia apresenta cada vez mais bancos tradicionais com limitações de crédito. Entidades de proteção de crédito tiram diariamente da economia diversos CPFs, quando assinalam como “sujos” os nomes de algumas pessoas, muitas vezes por pura burocracia.

O que pouco se sabe, mas vem se difundindo muito rápido, é que as fintechs não são bancos, nem tampouco buscam burocratizar o relacionamento com o usuário, muito pelo contrário! São empresas virtuais, em grande parte, e com segurança digital certificada – o que garante o sigilo das transações que forem firmadas. Em resumo: parecem bancos, mas são melhores!

O crescimento do acesso à internet e a popularização de smartphones fez muita gente adotar soluções mais práticas, que se integrassem melhor a esse novo estilo de vida.

Assim, no Brasil, mais de 130 fintechs surgiram nos últimos anos. A maioria já tem planos de negócio em atividade e um dos itens mais buscados é o empréstimo de crédito pessoal. Mas se acha que, agora, serão apresentadas aquelas fórmulas malucas que bancos tradicionais usam, não se preocupe: as fintechs são diferentes. Veja a seguir como elas operam.

Como funcionam?

Uma fintech funciona como uma startup clássica, ou seja, predominantemente no meio virtual. Além disso, tem no cliente o centro da estratégia de negócio. Basicamente, o usuário entra em contato, conhece os planos de empréstimo, e a parte mais interessante: observa que as taxas de juros serão muito abaixo às praticadas em empréstimos bancários tradicionais e, por vezes, sem ter que ofertar garantias para avalizar o negócio! Legal, né?

É muito comum as pessoas compararem os serviços ofertados tanto pelos bancos como pelas startups. Porém, especialistas dizem que o novo modelo de gerenciamento financeiro não vai quebrar os bancos tradicionais. Pelo contrário: há quem considere que bancos e fintechs trabalharão em cooperação, melhorando mais ainda esse novo formato de relacionamento de crédito.

Mas se não é banco nem tem exigência de garantias, como as fintechs conseguem condições tão boas?

Assim como qualquer organização do setor financeiro, essas empresas devem ser confiáveis, com certificação do Banco Central (por se tratar de uma financeira). Elas se desenvolvem pelo investimento formal bancário. Isto é, as fintechs se abastecem do crédito comum e garantem o risco do negócio através de algoritmos próprios – mecanismos de inteligência artificial que calculam os riscos dessa oferta de crédito.

Em relação a esses algoritmos, as informações bancárias são a alma de qualquer transação financeira, ainda mais para fintechs de empréstimo. Por segurança do negócio, é necessária uma grande quantidade de dados não convencionais para determinar a capacidade de crédito do mutuário.

O uso de algoritmos pela maioria dos fomentadores de fintech, auxilia na mensuração do risco de crédito do tomador de empréstimo, sem precisar buscar de meios convencionais, e contribui para facilitar o acesso ao crédito dos consumidores.

Assim como em transações financeiras tradicionais, é importante zelar pela segurança em uma fintech

Como tem muita grana envolvida, o mercado financeiro, empresas e investidores acompanham de perto esses negócios. Contudo, é muito importante verificar antes as certificações de segurança da fintech com a qual você negocia.

Vantagens

A primeira vantagem de se negociar com uma fintech é a facilidade e agilidade do negócio. Uma solicitação tradicional de crédito, feita em um banco de mercado, demanda algum tempo de relacionamento para a liberação do dinheiro.

Já em uma empresa financeira digital, como a Rebel, é possível conseguir a aprovação com poucos minutos de negociação, recebendo o dinheiro em até dois dias.

Outra vantagem são os juros mais baixos, que sempre seduzem os ouvidos e fazem muito sentido no mundo das fintechs. Isso se dá porque o procedimento é totalmente on-line e digital. Isto é, os bancos acabam não tendo como lucrar sobre a transação, permitindo assim taxas justas e baixas.

Observe como a Rebel trabalha: permite que você, mesmo sem garantias, obtenha acesso ao crédito com juros baixos!

Já a desburocratização da operação é possível graças à utilização de processos de avaliação mais sofisticados, como softwares com inteligência artificial (o famoso big data), que mapeiam a transação bancária e também traçam um perfil comportamental de cada usuário.

Isso é muito comum na rotina da Rebel, o que simplifica a liberação de empréstimos para consumidores com score não muito alto.

Assim, essas mudanças também democratizam o acesso ao crédito. Isto é: a Rebel atende desde quem mora em locais afastados, como zona rural, locais sem banco ou com pouca competitividade, até mesmo quem está nas grandes metrópoles cansado das rotinas tradicionais bancárias, com juros exorbitantes. Isso pode gerar melhorias na economia de todo o país.

Precisar de empréstimo é natural e, por vezes, necessário. Mas, contar com quem entende, pode ofertar ótimas taxas e condições, sem cobrar garantias,  é algo único. E o melhor: tudo por seu smartphone, computador ou tablet. Isso só uma empresa confiável como a Rebel pode oferecer.

Estamos sempre de olho nas novidades do universo das fintechs, que, sem dúvidas, devem melhorar muito a economia do Brasil e do mundo nos próximos anos.

Com tanta informação, se tiver dúvidas, algo a complementar ou comentar, fique à vontade para comentar abaixo. E não se esqueça de compartilhar este material com parentes e amigos!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *