close

Grana

Nome negativado: o que é e como limpar?

março de 2018


timer
Tempo aproximado
de leitura:
7 min



O que é nome negativado?

Com o desemprego em alta, muitas pessoas não conseguem cumprir seus compromissos financeiros e ficam preocupadas com a principal consequência disso: ter o nome negativado.

Essa situação, também conhecida, popularmente, como estar com o nome sujo, nada mais é do que ter um registro em órgãos de proteção ao crédito.

Os principais deles são o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), o CCF (Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos) e a SERASA (Centralização de Serviços dos Bancos).

Ao ter um cadastro em qualquer uma dessas entidades, um indivíduo tem restrições para fazer algumas transações, como pedir empréstimos ou realizar financiamentos diversos.

A partir de agora, saiba mais sobre como é ter o nome negativado, seus efeitos, como se livrar dessa condição e o que fazer se um cadastro é feito nos órgãos de proteção ao crédito indevidamente.

Ter o nome negativado causa um grande transtorno na vida de uma pessoa.

O que isso representa?

Estar com o registro ativo em qualquer órgão de proteção ao crédito, como já mencionado, limita ou até anula as opções de crédito, independentemente da espécie. Empréstimos e financiamentos diversos, por exemplos, deixam de ser feitos nessa conjuntura.

Normalmente, é realizada uma consulta antes de fechar o negócio, e, ao observar o nome do solicitante nos registros, os bancos e instituições financeiras costumam abortá-lo.

Se a dívida ainda não foi paga, as empresas levam em conta o fato de que a situação possa se repetir e, dessa maneira, fazem a recusa.

As limitações não param por aí: ao ter o nome negativado, uma pessoa fica impedida de abrir uma conta corrente em qualquer banco. Se já é correntista, a emissão de talões de cheques é suspensa e, além do mais, as permissões para uso de limite de cheque especial não anuladas.

Além disso, muitas empresas deixam de contratar uma pessoa nessa situação, mesmo que tenha outros atributos, como um bom currículo. Mas, essa regra não se aplica a todas elas, porque isso varia de acordo com o empregador.

Muito se fala na expressão caducar a dívida, principalmente depois que ela completa cinco anos. Na verdade, o nome do devedor é retirado dos cadastros dos órgãos de proteção ao crédito, mas, atenção, a dívida não é anulada, muito pelo contrário. O credor ainda tem em mãos o valor, com juros e correção monetária, do montante a ser pago.

Sendo assim, a melhor solução para evitar transtornos é que tanto dívidas recentes quanto mais antigas sejam pagas, e essas últimas costumam ter vantagens e apresentar melhores condições de pagamento. Assim, as limitações em relação à obtenção de créditos de qualquer natureza são devidamente liberadas.

No entanto, uma das principais dúvidas dos devedores é justamente essa: uma maneira de fechar acordo com o credor e finalmente quitar as dívidas. É possível ter condições especiais? Uma dívida mais antiga tem mais descontos de juros e multa? Quais são os direitos do pagador? Veja mais detalhes a seguir.

Como limpar o seu nome e conseguir um empréstimo?

Ao ter uma dívida ativa e, por consequência, o nome negativado, é habitual que o devedor receba cobranças, seja por carta, mensagem ou telefone. Algumas empresas, porém, têm práticas abusivas de cobrança, que pressionam e tiram a estabilidade emocional de quem deve. São elas:

  • Ligar para o trabalho do devedor, a não ser que ele tenha fornecido o contato anteriormente;
  • Contatar fora do horário estipulado em cada estado, principalmente alguns horários aos sábados, domingos o dia todo e fora do horário comercial;
  • Deixar recado com terceiros, e citar a dívida, pois isso pode causar constrangimentos.

Para pensar em uma solução para quitar esse débito, o melhor é manter a calma, chamar a atenção do credor, se houver qualquer prática excessiva, e partir para a negociação. Dessa maneira, é questão de tempo para que não se tenha mais o nome negativado.

Veja agora um passo a passo completo de como limpar o nome:

Consulte todos os débitos

Atualmente, não é mais necessário pagar para verificar, pelo menos junto ao SPC e SERASA, se há débitos pendentes, ao contrário de antes, quando a consulta era apenas paga. Portanto, é possível averiguar se seu nome consta no cadastro de um ou ambos órgãos.

Esse processo pode ser feito online ou mesmo no próprio smartphone ou tablet. Possibilidades não faltam.

Se seu nome não estiver no SPC e SERASA, mas tem ciência de que há uma dívida a ser quitada, é necessário entrar em contato diretamente com o credor, não sem antes observar o passo seguinte a ser dado.

Estude a dívida

Se o débito é um parcelamento, talvez nem todas elas estejam atrasadas. A saída usada por muitas pessoas – pagar o que estiver em aberto há mais tempo e atrasar a dívida mais recente – certamente não é a melhor solução, porque isso vira uma bola de neve e as parcelas mais recentes acabam também sofrem juros.

Em caso do número de prestações aumentar, a situação piora e as chances de acabar de vez com o problema do nome negativado diminuem.

Dessa maneira, tente negociar a dívida por completo e acabar com todo o mal de uma única vez. Sem contar que é possível ter mais descontos.

Consulte os credores

Agora que você já sabe exatamente para quem deve, o momento é de entrar em contato, seja por telefone, pessoalmente ou por e-mail, e tentar renegociar o débito em aberto. Algumas instituições mantêm outros canais de comunicação, como chat no seu site ou WhatsApp.

Lembre-se do passo anterior: a prioridade é negociar a dívida toda, mesmo que apenas uma parte dela tenha deixado seu nome negativado.

Antes de saber se há condições de quitar tudo de uma vez, verifique os valores para pagamento à vista, pois, dessa forma, os descontos costumam ser maiores.

A premissa de que se deve manter a calma também é muito válida para esse passo. Mesmo que você peça os valores para quitação da dívida à vista, as empresas também costumam propor uma negociação a prazo, com valores absolutos mais altos.

Atente-se para o fato de que esse valor a ser apresentado futuramente deve caber em seu orçamento. Não adianta firmar um compromisso que, futuramente, não terá condições de honrar. Veja a seguir como chegar a um bom valor para sugerir.

Planeje o pagamento

Verifique as suas possibilidades antes de aceitar uma negociação.

O valor não deve ser apenas fechado de acordo com o valor da dívida total. Deve-se levar, principalmente, em consideração todas as despesas mensais. Para isso, suponha que o débito não exista, seu nome não esteja negativado e considere apenas os gastos mensais habituais. Sobra algum valor? Se sim, quanto?

Se não sobrar nada (ou pior, você gasta mais do que ganha), antes de mais nada, precisa fazer um novo planejamento financeiro. Para isso, leve em consideração a sua renda mensal e estabeleça um teto para ser gasto durante esse período, e ponha fim a tudo o que for supérfluo.

Reeduque a sua vida financeira antes de quitar quaisquer débitos.

Com novos hábitos, em pouco tempo, começará a sobrar dinheiro para quitar tudo o que estiver pendente.

Concretize a negociação

Depois de fazer essa criteriosa avaliação, o momento é de entrar em contato com os credores novamente e apresentar o valor que se pode pagar. Como já citado antes, as negociações à vista devem ser priorizadas. Se não puder pagar com recursos próprios, procure algum familiar ou pessoa de confiança, que possa ajudá-lo nesse momento.

Caso sua única opção seja o pagamento em parcelas, use a calculadora do Banco Central e simule o valor passado à vista pelo credor, dividido em prestações. Verifique uma taxa de juros menor do que a que você paga hoje e tenha noção do valor total da dívida facilitada dessa maneira.

Em seguida, entre em contato e converse com o seu credor. Deixe claro que é o que pode ser pago em dia e que não adianta fechar uma quantia maior e não ter condições de quitar.

Se durante esse período houver um dos Feirões Limpa Nome, não hesite em participar se o seu credor estiver entre os integrantes. Por meio deste link, você pode conseguir ter sucesso em sua proposta.

Pague a dívida

Esse é certamente o passo mais importante: quando a negociação é aceita, você finalmente consegue pagar a dívida e colocar um fim ao problema do nome negativado. Cumpra a sua promessa e, caso a negociação tenha sido feita em parcelas, pague pontualmente.

Poupe

Para ter um destino diferente após deixar de ter o nome negativado, é fundamental mudar os hábitos e aprender a economizar dinheiro. Mesmo quando estiver no processo de quitação dos débitos, no caso de parcelamento, é importante guardar uma parte da renda, ainda que seja um valor pequeno.

Aprender a poupar é imprescindível para não cair em dívidas novamente.

Depois, quando a sua dívida for totalmente paga, você pode aumentar a quantia a ser poupada ou até destinar à aplicação o mesmo valor das parcelas. Esse é um hábito que deve ser adotado sempre.

No futuro, esse valor economizado pode servir de reserva para momentos mais difíceis ou qualquer emergência.

Cuidado com empréstimos e financiamentos

Caso seu nome e CPF deixem de constar na lista, você já pode solicitar empréstimos, fazer financiamentos e realizar outras transações. Isso, claro, de maneira consciente.

Avalie a sua renda mensal, os gastos dos quais você não pode abrir mão e o que sobra no final das contas. Faça um parcelamento que tenha uma taxa de juros que você possa pagar.

Se acontecer um imprevisto, a sua aplicação pode ser usada. Mas, lembre-se de priorizar o pagamento diretamente de sua renda.

Ao seguir essas etapas, as chances de ter o nome negativado novamente são bem pequenas.

A partir da quitação do valor total (em transações à vista) ou da primeira parcela, a instituição credora tem o prazo de até cinco dias úteis para retirar o seu registro dos órgãos de proteção ao crédito.

Para ter certeza de que finalmente o seu nome não será mais negativado, faça uma consulta ao final desse prazo.

Nome negativado indevidamente: o que fazer?

Imagine ter o seu nome negativado sem ao menos ter negociado ou comprado com a instituição credora que incluiu o seu cadastro nos órgãos de proteção de crédito. Isso existe e, se acontecer, uma medida deve ser tomada o quanto antes.

Geralmente, isso ocorre com pessoas homônimas ou mesmo por erros no momento de se fazer o cadastro.

A responsabilidade, nessas situações, é da empresa que solicitou a negativação do nome e CPF. Ela pode, inclusive, ser notificada por danos materiais e morais.

Ao saber da inclusão do seu nome nos órgãos de proteção ao crédito, o consumidor deve exigir a correção dos dados e ter retorno em até cinco dias úteis. A não reparação define uma infração, sujeita à pena de seis meses de detenção ou multa.

Leia o blog e saiba mais sobre como economizar dinheiro, pagar suas dívidas em dia e ter uma vida financeira saudável. Acompanhe as atualizações para ficar por dentro das novidades e comente em caso de quaisquer dúvidas.



Leia mais

Grana
timer 8 min

Empréstimo consignado: o que é e como funciona?

janeiro de 2018
Grana
timer 10 min

15 dicas práticas e infalíveis para economizar dinheiro

março de 2018
Grana
timer 5 min

Parcelar a fatura do cartão: como funciona? Quais são as alternativas ao parcelamento?

março de 2018