Rendimento e juros de poupança: como calcular

By:
Os juros da poupança fazem com que o valor aplicado pelo cliente aumente ao longo do tempo. Crédito: Pixabay

Desde pequenos, muitos brasileiros são incentivados a guardar as moedas no cofrinho, a fim de comprar algo que desejam no futuro. Quando adultos, a poupança passa a ser realidade para várias pessoas. Mesmo que o brasileiro não tenha o hábito de poupar, quase todos têm uma conta desse tipo aberta em um banco.

Ao olhar o extrato da conta, é comum ver um valor a mais na conta, que podem ser centavos ou valores maiores. Este rendimento é o responsável por ajudar a aumentar o patrimônio financeiro da pessoa, fazendo com que o dinheiro “trabalhe” para ela. Mas como calcular os juros da poupança?

Como calcular o rendimento da poupança

O rendimento da poupança pode ser calculado de duas formas, a depender de qual o valor da taxa básica de juros da economia (Selic). Hoje, o Copom determinou que a Selic continuasse em 6,5% ao ano, patamar que tem se mantido desde março deste ano.

Quanto maior a taxa de juros, maior é o rendimento da poupança. Embora em um primeiro momento pareça que a Selic alta é positivo, isso é um engano. Quando a taxa atinge patamares mais baixos, significa que o país está conseguindo controlar e potencializar a economia.

Existem duas fórmulas para se calcular os juros da poupança, sendo que ambas consideram a taxa básica de juros e a TR (taxa referencial). A TR é um valor calculado e divulgado diariamente pelo governo que serve como uma correção monetária para diversos produtos bancários, como a poupança e financiamentos. Basta procurar o valor na internet para fazer a conta com precisão.

Fórmulas:

Quando a Selic for maior do que 8,5% ao ano, a rentabilidade da poupança é calculada da seguinte forma:

  • 0,5% ao mês + TR (taxa referencial) = rentabilidade

Quando o valor da Selic for menor que 8,5% ao ano, como é o caso atual, a poupança passa a render menos e é calculada da seguinte forma:

  • 70% da meta da Selic ao ano + TR (taxa referencial) = rentabilidade

O valor do rendimento varia?

A rentabilidade é calculada utilizando a taxa de juros e a TR e, por isso, é a mesma em todas as instituições financeiras do país. Crédito: Pixabay

Como a taxa referencial é a mesma para todos os bancos, na hora de calcular os juros da poupança, o cliente pode escolher o banco de preferência sem pensar em qual deles terá uma rentabilidade mais vantajosa a longo prazo. Portanto, é preciso considerar outros critérios importantes na hora de escolher a instituição financeira, como a quantidade de agências espalhadas pela cidade em que mora e a existência de bons aplicativos.

Se o cliente aplicar R$ 1 no banco X e o mesmo valor no banco Y, terá o mesmo valor ao longo do mesmo período de tempo.

É importante ressaltar que, quanto maior o valor acumulado na poupança, maiores os juros que incidem sobre ela. Hoje, a poupança funciona com o sistema de “aniversários”, o que significa que os juros serão aplicados no valor um mês depois dele ter sido depositado na conta.

Se você colocar R$ 10 na poupança, no dia 5, provavelmente os juros sobre esses R$ 10 serão creditados na sua conta no mesmo dia do mês seguinte. Isso acontece todos os meses e, por isso, os juros tendem a aumentar à medida que o cliente coloca mais dinheiro dentro da conta.

Caso o cliente retire o valor antes de um mês, por exemplo, pode deixar de ganhar os juros que incidiriam sobre o montante parado.

Principais vantagens da conta poupança e seu rendimento

A poupança possui alguns atrativos que fazem com que ela se destaque de outras formas de investimento. Não precisar pagar impostos e a possibilidade de retirar o dinheiro da conta a qualquer momento são dois principais.

Como foi dito, caso o cliente retire o dinheiro antes do aniversário, ele estará perdendo parte dos juros, mas isso não impede que o dinheiro seja sacado. Outras formas de investimento, como CDBs, possuem um prazo mínimo para a retirada do dinheiro. Caso ele seja retirado antes do prazo, o cliente precisará pagar taxas mais elevadas.

Isso significa que a poupança possui liquidez diária. Para os clientes com contas mais apertadas e que podem precisar do valor a qualquer momento, este é um ótimo tipo de investimento.

Não há cobrança de taxas em contas poupança. Outros tipos de investimento cobram o Imposto de Renda, além de uma taxa de administração, valor pago para a empresa que administra o dinheiro. Para abrir uma poupança, basta ir até o banco de preferência e apresentar documentos pessoais, como CPF (Cadastro de Pessoa Física) e comprovante de residência.

Os pais podem abrir contas poupança para os filhos menores de idade. A única diferença é que a conta fica vinculada ao adulto responsável. Quando a criança completar 18 anos, pode ir até o banco e pedir para ser a única a ter acesso à conta.

A partir do momento que a conta for aberta, o cliente já pode começar a fazer depósitos. Outro ponto importante deste investimento é que não exige um valor mínimo de aplicação ao abrir a conta. O cliente pode colocar o valor que tiver disponível, mesmo que sejam R$ 5.

Dentro das outras opções de renda fixa, o investimento mínimo é de R$ 30, no caso de pessoas que vão investir no Tesouro Direto, título público do governo federal garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Outra vantagem da poupança é a praticidade. Muitas vezes, os clientes abrem a poupança no banco em que já possuem uma conta-corrente e podem analisar a movimentação da conta sempre que forem ao banco pagar uma conta, por exemplo. A praticidade faz com que muitas pessoas optem pela caderneta de poupança.

Começando a guardar na poupança

Criar o hábito de economizar faz com que a pessoa conquiste os objetivos, como a compra de uma casa. Crédito: Pixabay

Pela praticidade e possibilidade de ter dinheiro sempre à mão, a poupança atrai sempre muitos brasileiros. Embora não seja o investimento com a melhor rentabilidade do mercado financeiro, ainda traz bons resultados para quem quer ganhar um pouquinho com o dinheiro guardado.

Todos os bancos têm a mesma rentabilidade para a poupança, então o cliente deve levar em conta outros fatores para escolher qual a melhor instituição para deixar seu dinheiro. O importante é criar o hábito de guardar para poder lidar com emergências ou para comprar um item dos sonhos, como um apartamento ou uma viagem.

Uma boa dica é sempre se pagar primeiro. Isso significa que, assim que o dinheiro do salário cair na conta, transfira uma parte para a poupança. Assim, você evita de guardar “o que sobra”, porque, normalmente, o dinheiro não irá sobrar se ficar na conta-corrente.

Você já sabia como calcular os juros da poupança? Você coloca o seu dinheiro nessa aplicação? Deixe seus comentários e sugestões sobre esse tipo de investimento.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *