Nosso jeito

Open Banking e o que você tem a ver com isso

13 de dezembro

Open Banking: o nome já diz tudo, “bancos abertos”, em tradução livre. Ou, como tem sido chamado por alguns, Sistema Financeiro Aberto.

O Open Banking é uma nova forma de lidar com os dados dos cidadãos a que os bancos sempre tiveram acesso.

Mas como assim?

Nosso CEO, Rafael Pereira, explica em poucos segundos:

Suas informações financeiras, como histórico de consumo, receita, débitos, se paga ou não suas contas em dia, sempre foram propriedade dos bancos.

É assim que eles decidem qual vai ser o limite do seu cartão de crédito e as linhas de financiamento a que terá direito, por exemplo.

Mas a personalização para por aí: apesar de sempre possuírem, os bancos nunca tiveram interesse em analisar seus dados mais de perto para determinar taxas de juros mais baixas para quem honra seus compromissos financeiros.

A lógica sempre foi a do “quem costuma pagar, paga caro também, assim eu cubro o dinheiro que vou perder com quem não paga”. Pois é. E os ganhos são altos com essa prática.

Com o Open Banking essa lógica cai por terra.

O Cadastro Positivo, já valendo no Brasil, vai na mesma linha do Open Banking

O Open Banking parte da premissa de que seus dados são seus e você compartilha com quem quiser, e se quiser.

Mas por que eu compartilharia meus dados com outras empresas?

Vai depender dos benefícios que aquela instituição te oferece e se você quer usufruir deles. Quanto mais se sabe sobre você e seus hábitos, estilo, interesses, mais personalizados ficam os produtos e serviços para você.

Hoje, já damos nossas informações pessoais para inúmeros aplicativos, seja para fugir do trânsito, pedir comida ou ouvir música. O que acontece com o Open Banking é que isso se estende para seus dados financeiros, pois até hoje os bancos detém o monopólio sobre eles.

Sob a lógica do Open Banking, então, o seu comportamento financeiro é que vai dizer as taxas e produtos a que terá acesso.

Com o Open Banking todo mundo vai ter acesso aos meus dados bancários, então?

Não. Os dados só podem ser compartilhados mediante sua autorização e só podem ser usados para aquela finalidade explícita que você permitiu.

Por exemplo: um aplicativo de delivery pede que você compartilhe sua localização. Se você autoriza, ele usa aquela informação para gerar valor para você: seu pedido chegando ao local correto. Mas o aplicativo não poderá ceder ou usar sua localização para nenhuma outra finalidade.

Com a Rebel é a mesma coisa. Se você compartilha seus dados de acesso à conta para te darmos seu Rebel Score e taxas personalizadas, nós só podemos usar esses dados para fazer nossa análise e chegar a esses resultados. Para nada mais.

Isso já acontece em outros lugares do mundo?

Sim! A prática já é bastante comum em outros lugares do mundo, como EUA e Europa, e está sendo regulamentada no Brasil. E a Rebel vem liderando esse movimento no país.

O Open Banking veio para ficar. Então, a dica é prestar atenção em QUE TIPO de informação, com QUAL FINALIDADE e PARA QUEM você está compartilhando.

Mas isso devemos fazer com ou sem Open Banking, correto?

Deixe comentários se você ainda tem dúvidas sobre o tema!

Tags:, ,

Leia mais sobre Nosso jeito

Nosso jeito

Compartilhar minha senha do banco: pode isso, produção?

fevereiro 7th, 2020
Nosso jeito

Open Banking e o que você tem a ver com isso

dezembro 13th, 2019
Nosso jeito

Como ter um bom Rebel Score?

dezembro 12th, 2019